PACOTES TURISTICOS

PARIS

Paris Passagens Aereas Hoteis Seguro Viagem Turismo

Monte seu pacote turístico para Paris!

 

 

Pacotes Turísticos Paris - França

 

França Paris

Poucos são os que conseguem permanecer indiferentes à magia da Cidade Luz. Basta um carnet do metrô, um mapa da cidade, um mapa do metrô e pronto, você está apto para iniciar a conquista da Cidade Luz! Vamos então começar pelo centro, onde estão os Champs Elysées. Pegue o metrô (linha 1) e desça na estação Charles de Gaulle Etoile. Ao subir as escadarias da estação você vai logo encontrar o monumental Arco do Triunfo (ao lado). Depois siga pela Avenue Champs Elysées, a principal da cidade. Ela estende-se por aproximadamente quatro quilômetros, ligando, na extremidade a oeste, o Arco do Triunfo (situado na Place Charles de Gaulle) até, na extremidade leste, o largo conhecido como Place de la Concorde. Ao longo da avenida Champs Elysées estão dezenas de lojas, restaurantes, galerias, lojinhas de fast food, a casa de shows Lido, e principalmente, gente de todo tipo. Voltando ao Champs Elysées e continuando a caminhada pelo jardim chega-se à Place de La Concorde, outro dos pontos nobres de Paris. Veja uma foto de alta definição de uma banca oferecendo livros turístico sobre Paris em várias línguas.

O ponto central da praça é Obelisco Luxor (clique e veja duas fotos do Obelisco Luxor, Obelisco à Contra-luz), relíquia milenar trazida da antiga cidade Egípcia de mesmo nome, e em frente ao mesmo, uma bela fonte ornamentada com esculturas pintada em dourado e verde, na foto acima. Ao fundo vê-se alguns prédios do governo francês. Depois de atravessar a Place de la Concorde chega-se aos portões de entrada do Jardin des Tuilleries. Se você está a procura de lembranças, camisetas de Paris, chaveiros, imãs de geladeira, perfumes por bom preço e todo tipo imaginável de lembranças da cidade, é preferível seguir pela rua. Se quiser sair do lugar comum ande só mais um pouquinho e vá até La Samaritaine, uma das maiores e melhores lojas de departamento da cidade. No último andar há um bar-restaurante com vista privilegiada para o rio Sena, ponto ideal para assistir o pôr do sol.

A certa altura da rue de Rivoli, no largo em frente ao Hotel Regina, você encontrará a estátua eqüestre dourada de Joana d’Arc (foto acima), santa protetora da França. Veja a página com um breve resumo da história de Joana d'Arc clicando em Joana dos Arcos.Clique e veja uma imagem em alta definição do Jardin de Tuilleries e fachada dos prédios da Rue de Rivoli.

Se você atravessar a rua em frente a estátua de Joana d’Arc chegará num dos mais famosos museus do mundo, o Musée du Louvre. Como parte dos serviços, todo o subsolo do museu foi transformado num shopping, onde pode-se comprar, entre outras coisas, livros, reproduções em diversos tamanhos das principais obras expostas, e ainda fazer uma refeição no Carrousel du Louvre, o setor de alimentação do museu.

Como curiosidade visite também no subsolo o ponto onde o vértice das duas pirâmides de vidro quase encostam uma na outra, local que serviu a uma das cenas do megasucesso O Código da Vinci. Clique e veja.

Hoje os diversos prédios abrigam também um dos melhores museus do mundo dedicados às forças armadas. A Église des Invalides, na foto ao lado, tem cúpula de 196 metros, e abriga a sepultura de vultos famosos da história francesa, com destaque para Napoleão Bonaparte, enterrado num sarcófago constituído por sete tumbas, uma dentro da outra, construídas com diferentes pedras nobres ou preciosas. Em volta do sepulcro, sete esculturas de anjos, representando as vitórias em combates, guardam o corpo do imperador francês (clique e veja).

Depois da visita aos Invalides uma curta caminhada na direção da Rue de Varenne levará você ao Museu Rodin, dedicado ao grande escultor. No jardim dos fundos há uma reprodução em tamanho grande de uma de suas obras mais famosas, O Pensador.

Depois siga em frente pela mesma rua e dobre a direita na Rue du Bac, para conhecer uma das grandes lojas de departamento da cidade, o Bon Marché de Rive Gauche. Aproveite para fazer um lanche no simpático café situado no último andar.

Seguindo a caminhada vá agora na direção da Rue du Cherche Midi, para conhecer a mais famosa padaria - se é que ela pode ser chamada assim - de Paris, a Poilane. (clique e veja um pão da Poilane). Depois dobre a direita na rue Vieux Colombier e visita a Igreja do Saint Sulpice, que com suas torres quadradas também serviu às filmagens do Código da Vinci.

Situado em frente ao rio Sena, num prédio que anteriormente abrigava uma das estações ferroviárias da cidade, a Gare d'Orsay.

Depois da visita vá na direção do Sena e volte novamente para a Rive Droite, atravessando o rio pela ponte de pedestres Solferino. Este é um local privilegiado para bater algumas fotos da cidade ao cair da noite, enquadrando o rio e as embarcações turísticas que a todo momento passam sob a ponte.

No dia seguinte sugerimos começar a caminhada pela Place de la Republique. (estação Republique, servida por diversas linhas do metrô). Esta não é considerada uma região chique, mas é um dos pontos mais movimentados da cidade, local freqüentemente escolhido para manifestações sociais, estudantis etc. No centro da praça, destaca-se uma imensa estátua feminina representando a figura da república (ao lado). Depois dobre a esquerda na Rue Rambuteau e siga em frente passando pela Rue de Francs Burgeois para chegar ao Musée Carnavallet. Situado num belo prédio quase escondido entre ruas estreitas, este museu tem ótimas exposições relacionada principalmente à história de Paris. Continuando pela Rue de Francs Burgeois chegamos agora ao bairro Marais, um dos mais charmosos da cidade. Seu coração é a Place des Vosges, considerada como o quadrilátero mais belo de Paris. Sob os prédios, uma elegante arcada (foto ao lado) faz o contorno da praça, e ao longo desta estão lojinhas e pequenos restaurantes.

Depois de atravessas a Place de la Bastille siga pela Rue de Lyon, passando em frente ao moderno prédio da Ópera Bastille até chegar a uma das principais estações ferroviárias da cidade, a Gare de Lyon. Quem tem estômago forte pode apreciar o museu de cêra Les Martyrs de Paris, que, de uma forma impactante, relembra os horrores e mártires da Paris medieval. Sua entrada situa-se em frente ao prédio circular da Bourse, a bolsa da cidade. Clique e veja a escultura situada no alto da coluna Châtelet.

No dia seguinte faça um roteiro clássico, visitando o bairro Montmartre (estação Anvers, linha 2 do metrô). Após sair da estação suba pela estreita e movimentada Rue de Steinkerque até o largo situado na base da colina. As escadarias do bairro de Montmartre nos conduzem à Paris dos cafés e pintores de rua, concentrados na Place du Tertre e arredores. É aquela Paris charmosa, que reside no inconsciente de todos nós. Do alto destas escadarias, em dias claros, tem-se uma boa vista de Paris. Quem quiser ainda mais pode subir até o mirante da igreja. Esta praça é ocupada pelas mesas dos restaurantes em volta e por pintores, trabalhando em meio ao público. Também são freqüentes artistas pintando retratos dos turistas, em óleo ou carvão. Ao redor da Place Du Tertre há muitos restaurantes simpáticos acolhedores, e este é um bom lugar para fazer uma refeição. Depois da visita a Montmartre desça novamente até a estação de metrô Anvers, mas não pegue o metrô. Não estranhe a vizinhança ao longo do Boulevard de Rochechouart e Boulevard de Clichy. Logo em frente estará uma das principais estações ferroviárias da cidade, a Gare Saint Lazare, que também vale uma visita. Prossiga então pela Rue du Havre e Rue Tronchet e você chegará nos fundos da igreja Sainte Marie Madeleine, construída no formado de um templo grego. Aproveite para conhecê-la por dentro e descansar da caminhada.

Ah sim, antes de visitar a Madeleine passe no Fauchon, uma das mais tradicionais lojas de Paris, especializada em gostosuras de todo tipo. Siga então pela Rue Saint Honoré até a Place Vendôme.

No dia seguinte vamos continuar nosso roteiro pela Paris chique. U-lá-lá! Começando pela Place de Palais Royal (estação Palais Royal - Musée du Louvre, linha 1) suba a Avenue de l'Opera em direção à Opera. Depois de conhecer a Printemps e a Galleries Lafayette siga na direção leste pelo Boulevard Montmartre e visite a versão francesa do museu de cêra de Madame Tusseau, o Musée Grevin, com interessantes exposições representando vultos e momentos importantes da história francesa. Uma das coisas pitorescas de Paris é a quantidade de pessoas que se vêem pela rua comendo sanduíches enormes de pão francês. A seguir vamos conhecer o bairro da Defense. Por aqui tudo é exatamente a antítese da Paris clássica que nos acostumamos a ver em fotos e filmes. O ponto central do bairro é La Grande Arche de La Défense (foto ao lado), imenso prédio em formato de cubo, com 37 andares de altura, de concepção arquitetônica revolucionária. Para chegar lá pegue a linha 1 do metrô, estações Esplanade de La Defense ou Grande Arche. Na época, Luis VII era o imperador da França, e tinha como objetivo construir uma catedral a altura da importância da França e de sua capital. Para tanto fez questão até de convidar o Papa Alexandre III para vir a Paris colocar a pedra fundamental da obra. Depois de visitar o interior da catedral e suas torres atravesse em linha reta o largo em frente à Notre Dame, conhecido como Parvis e chegará à escada que dá acesso às fundações de Lutecia, a vila que deu origem à Paris.

Caminhando um pouquinho mais chega-se às margens do Sena, guardada pelo imponente palácio da Conciergerie, que também deve ser visitado. Antes de deixar esta área para trás, aproveite para conhecer o prédio do Hotel de Ville (clique e veja), o belíssimo prédio da prefeitura. O amplo espaço a sua frente costuma ser um dos locais preferidos dos parisienses para se reunir em grandes eventos, como comemorações esportivas, shows, etc.

Bem ao lado do prédio da prefeitura situa-se a mega-loja de departamentos Bazar de l'Hotel de Ville, onde encontra-se de tudo. A rede de eletrodomésticos Darty é a principal do país e tem lojas em praticamente todos os bairros da cidade.

Depois aproveite para visitar uma das mais belas áreas verdes de Paris, injustamente esquecida pela maior parte dos turistas.

Na Ile de La Cité ficam ainda o Mercado de Flores, e aos domingos, o Mercado de Pássaros de Paris. São visitas interessantes, fora dos roteiros turísticos tradicionais, mas que fornecem uma boa visão da vida da cidade em seus aspectos cotidianos.

Notre Dame está situada exatamente no coração da cidade, na Ile de la Cité, onde foi fundada Paris. Esta foto foi batida numa tranqüila ruazinha da Ile Saint-Louis. Fica aqui, no número 31 da estreita rue St Louis en Ile, a sorveteria Bertillon, pequena no tamanho, mas considerada a melhor de Paris, com uma variedade imensa de sabores.

No dia seguinte vá para o lado sul do Sena, a conhecida Rive Gauche (estação Saint Michel, linha 4). A principal avenida deste lado é o Boulevard Saint Michel. No início do Boulevard Saint Michel encontra-se esta bela fonte (ao lado), conhecida como Fontaine Saint Michel, lugar de reunião habitual de turistas cansados e estudantes da faculdade Sorbonne, que fica logo adiante. Continuando pelo Boulevard Saint Michel chega-se à Sorbonne e logo após a Rue Souflot, de onde já pode se vislumbrar a imponente fachada do Pantheon. Ao sair do Pantheon visite o Jardin de Louxembourg, quase em frente.

Quando chegar a hora do almoço vá até a rua Rue Mouffetard (pronúncia muf-tad - estação Monge, linha 7), simpática ruela com vários restaurantes, bares e mesas na calçada.

Depois do almoço, siga pelo Boulevard Saint Michel e Avenue Danfert Rochereau até a Place Danfert Rochereau, movimentado pólo da região sul. Não deixe de conhecer aqui uma das mais surpreendentes atrações da cidade, as Catacumbas de Paris. Ao longo do Boulevard Saint Germain estão elegantes lojas, antiquários, livrarias, cafés e muito mais. Depois percorra com calma as ruelas e lojas do Quartier Latin, o bairro boêmio e intelectual mais charmoso da cidade. Ao lado foto de uma Colonne Morris, como são chamadas estas adoráveis colunas, tão presentes na cidade. Somente em Paris um cemitério poderia ser atração turística. Veja duas fotos em alta definição das sepulturas do compositor Chopin e do fundador da doutrina espírita, Allan Kardec. Veja também uma típica ruazinha desta parte da cidade clicando em 11eme arrondissement.

Quando voltar, já ao cair da noite, vá para a principal atração turística da cidade, a Torre Eiffel (estação Bir Hakeim, linha 6). Inaugurada em 1889, para as comemorações do centenário da revolução francesa, a torre Eiffel iria se transformar no principal símbolo de Paris, visita obrigatória de qualquer turista na cidade. No início grande parte da população a via como um horrendo monstro metálico, uma assustadora estrutura arruinando o harmônico perfil da Cidade Luz. Gustave Eiffel foi o engenheiro responsável pelo projeto e construção, derrotando cerca de outros 700 projetos no concurso organizado pelo governo, visando escolher um grande símbolo para homenagear os 100 anos da revolução francesa. Apesar do imenso peso próprio, a distribuição de esforços e cargas na estrutura é tão equilibrada e bem distribuída que até hoje o projeto do engenheiro Eiffel causa admiração aos calculistas estruturais.

Quase demolida em 1909, foi somente no ano seguinte, quando demonstrou sua utilidade como base da antena de telégrafo de Paris, que a torre Eiffel conseguiria escapar de virar ferro velho. Para chegar ao último andar é necessário trocar de elevador no segundo pavimento. Descobrir Paris é entregar-se à cidade, da mesma forma como nos entregamos à uma paixão fulminante. Quando quiser variar, pegue o metrô e vá para outro lado da cidade.

 

 

Pacotes Turísticos

 

Atualmente já não faz muito sentido adquirir um pacote turístico para Paris pois a grande vantagem que os pacotes turisticos apresentavam que era a redução de preços através da padronização já não ocorre. A disputa acirrada entre as companhias aereas que voam para Paris afim de obter mais clientes resultou numa sensivel redução no custo das passagens, de tal forma que conseguimos obter passagens aereas para Paris a preços reduzidos, permitindo total liberdade de escolha nas datas de embarque e retorno e portanto no tempo de permanência.

Também pode-se observar que através da internet tornou-se possível escolher entre diversos hotéis em Paris desde um economico hotel 3 estrelas a um luxuoso hotel 5 estrelas passando ainda pelos confortáveis hoteis 4 estrelas com muita facilidade, podendo escolher localização e custos adequados ao bolso de cada um e ainda obtendo bons descontos.

Um carro alugado não custa uma fortuna e permite grande mobilidade nos deslocamentos, e com as facilidades de um GPS ficará fácil se locomover em Paris, além disso redes de transporte público servem todas as grandes cidades turisticas.

Talvez a única vantagem que ainda resista é que viajando com um grupo é possível conhecer outras pessoas e pode-se compartilhar os custos com um guia, mas fica-se atrelado a cumprir horários e roteiros pré determinados, bem como pode ocorrer que o grupo de pessoas não apresente afinidade e interesses com o jeito particular de cada turista.

Por estas razões incentivamos nossos clientes a montarem os seus próprios pacotes turísticos para Paris. O serviço que prestamos não interfere no preço final dos pacotes turisticos, que em geral acabam custando igual ou menos do que o das operadoras. Experimente montar o seu pacote turistico personalizado para a sua próxima viagem para Paris incluindo as passagens aéreas, um bom hotel, um carro alugado e um guia de Paris, e inicie uma nova jornada de experiências!

 

www.paris.guide.com.br